Os três filhos de Artur – 31º capítulo


… No dia seguinte, quando o cavalo-velho soube que os dois irmãos de André iriam para a guerra, disse bem alto: – Eu não vou não, com estes dois caras aí, eu não vou.

O cavalo-velho logo reconheceu Pedro e Paulo, que o haviam maltratado, quando haviam passado por ele antes de chegarem ao palácio do rei Apolo.

Pedro então, ficou nervoso com a reclamação do cavalo-velho e disse:

– Ah, olha aí a audácia desse cavalo – E já foi tirando a cinta e dando uma cintada, porém, antes de ser atingido, o cavalo-velho deu um grande coice em Pedro, que ficou estatelado no chão.

Pedro olhou para André dizendo: – Pô André, não vai fazer nada não? – André então dando risada, disse: – Em briga de cavalo e burro eu não me meto.

Paulo, vendo o seu irmão caído no chão e todo sujo de lama, resolveu ir tomar as dores, partindo pra cima com a sua espada, mas na primeira investida, o cavalo-velho conseguiu desarmar Pedro, que levou um golpe no braço e deixou a sua espada voar longe.  Nisso o cavalo-velho disse:

– Agora vai dar uma briga boa, já que nós dois estamos desarmados.

Paulo tentou correr, mas o cavalo-velho o derrubava com seus saltos mortais e rasteiras. Mas a briga só acabou mesmo quando André deu um grito para que eles parassem de brigar, pois já era hora de partir para  a guerra. André ordenou que os seus irmãos fossem em outro batalhão, já que o cavalo-velh não queria a companhia deles.

Ao chegar no campo de guerra, Pedro e Paulo, que eram dois exímios guerreiros, tomaram a dianteira e em pouco tempo, eliminaram o batalhão inimigo e ajudaram a vencer muitos outros.

Ao voltarem para o palácio, Pedro e Paulo foram muito bajulados por todos os companheiros, inclusive pelo rei e pelo seu irmão André… CONTINUA

Posted in novela, Os três filhos de artur | Leave a comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.